domingo, 16 de novembro de 2008

Bem-Aventurado os Desorganizados porque eles serão intimos do Senhor*


Um dia comum. Trabalhamos, conversamos, resolvemos problemas e mesmo assim, nada disso acaba, nossa vida sempre e continuamente é uma bagunça a ser resolvida.

Imagine se em um dia desses, alguém tocasse a campanhia da sua casa. Você olha para o lado, meias, sapatos e calças no sofá, o quarto com roupas espalhadas e poeira em cima da tela do computador. Cozinha ainda não foi ajeitada depois do café e para se ter almoço e preciso lavar a loça e os talheres. Simplesmente convenhamos, é desesperador!

Agora, se a pessoa que você mais respeita e admira aquelas pessoas que olhamos e pensamos – “Um dia quero ser igual Fulano” – está aguardando você abrir a porta. Ou a pessoa que você ama, ou o pessoal do seu trabalho resolver te visitar. Ah! Se toda visita tivesse visão de raio-x para ver os milagres que fazemos e os cantinhos secretos onde em 5 minutos conseguimos esconder todas as coisas, seria simplesmente hilário.

Um dia, Jesus foi visitar duas mulheres e seu irmão. Uma delas deu exatamente essa “olhadinha básica” pela casa, é claro a pessoa que ela mais respeitava e amava não merecia sentar-se no meio daquela bagunça, certamente Jesus não merecia comer qualquer angu feito na hora. Ela foi ajeitar tudo, cozinhar a melhor comida, perfumar a casa. Jesus entrou, sentou-se. Marta ajeitou as coisas e foi correndo terminar de organizar a casa e a refeição. Maria viu as duas cenas, uma era Marta organizando a casa a outra cena era Jesus no sofá compartilhando coisas que Lucas nunca escreveu o que eram, mas sei que, Maria ao olhar Jesus, escolheu ficar sentado aos seus pés e ouvi-lo.

Já vi várias pregações crucificando Marta, pessoalmente vejo duas formas diferentes de honra e adoração. Uma dava do seu suor o máximo, outra dava do seu sangue o melhor do seu coração. Sabe, Jesus responde algo maravilhoso quando entra Marta agonizando porque Maria não a estava ajudando. Parafraseando o Mestre, acho que ele num certo suspirar profundo diz – “Marta! Marta! Sinceramente não me importo de estar nessa bagunça se eu estiver com você. Todavia, Maria me deu sua presença e agora não vou permitir que ela me deixe para cuidar de coisas, afinal, só isso que sinceramente importa.” – Incrivelmente o Mestre sempre sabe honrar as pessoas, mostrou a Marta que sua dedicação era aceita, mas que na verdade a presença dela é mais importante assim como Maria entendeu.

Muitas vezes, Jesus quer entrar na nossa vida e conversar conosco, mas estamos tão ocupados em organizar tudo para ele que perdemos o melhor dele, A SUA INTIMIDADE. Organizamos nossa vida, trabalho, estudo, dízimos, serviço na igreja. Mas, ao dar de tudo o melhor, perdemos a melhor parte da conversa com Ele. Ninguém está realmente errado na história, apenas Jesus nos deixa um recado. “SÓ REALMENTE UMA COISA IMPORTA”.

Eu sou do time de Maria. Prefiro conversar com DEUS na bagunça da minha vida do que perder toda a minha vida tentando organizá-la para enfim, começarmos a conversar.
Lucas 10.38-42

38 Ora, quando iam de caminho, entrou Jesus numa
aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua
casa.

39 Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual,
sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra. 40 Marta, porém,
andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te
dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me
ajude.

41 Respondeu-lhe o Senhor: Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com
muitas coisas;

42 entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria
escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.



*O título do post é uma irônia baseada no texto.

Gostou dá um like, comente abaixo ou no email: fiodarabiola@gmail.com


terça-feira, 28 de outubro de 2008

O Menino Sem Nome

video


Hoje andei aprendendo algo e gostaria de deixar aqui para você também. Os dias são comuns. A rotina é sempre a mesma. Os compromissos aumentam e aumentam, mesmo nós concluindo-os. Ou seja, o mundo gira e gira bem forte. Mas, tem coisas que absolutamente deveriam parar de girar. Deveriam ser silenciadas para sempre e não depois de um período de tempo, voltarem.

Até onde devemos lutar por algo? Até quando acreditar que isso dará certo? Até quando poderemos pensar que DEUS mudará de idéia por causa do nosso clamor?

A Bíblia nos conta uma história interessante. Um homem, chamado Davi, passeando pelas sacadas de seu palácio viu uma mulher pelada, tomando banho em casa. Garanhão, tomado de seu abuso de autoridade mandou busca-lá. Adultério. Seguido de assassinato do marido da mulher. Hipocrisia. Vestes reais. Sentou-se no trono de novo.

DEUS não se deixa zombar, chamou um homem, Natã, e mandou exortar Davi do seu pecado. Segue-se o texto literal:

2 Samuel 12.13-31

13 Então disse
Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Tornou Natã a Davi: Também o Senhor perdoou
o teu pecado; não morreras.
14 Todavia, porquanto com
este feito deste lugar a que os inimigos do Senhor blasfemem, o filho que te
nasceu certamente morrerá.
15 Então Natã foi para sua
casa. Depois o Senhor feriu a criança que a mulher de Urias dera a Davi, de
sorte que adoeceu gravemente.
16 Davi, pois, buscou a
Deus pela criança, e observou rigoroso jejum e, recolhendo-se, passava a noite
toda prostrado sobre a terra.
17 Então os anciãos da sua
casa se puseram ao lado dele para o fazerem levantar-se da terra; porém ele não
quis, nem comeu com eles.
18 Ao sétimo dia a criança
morreu; e temiam os servos de Davi dizer-lhe que a criança tinha morrido; pois
diziam: Eis que, sendo a criança ainda viva, lhe falávamos, porém ele não dava
ouvidos a nossa voz; como, pois, lhe diremos que a criança morreu? Poderá
cometer um desatino.
19 Davi, porém, percebeu que seus
servos cochichavam entre si, e entendeu que a criança havia morrido; pelo que
perguntou a seus servos: Morreu a criança? E eles responderam: Morreu.
20 Então Davi se levantou da terra, lavou-se, ungiu-se, e
mudou de vestes; e, entrando na casa do Senhor, adorou. Depois veio a sua casa,
e pediu o que comer; e lho deram, e ele comeu.
21 Então
os seus servos lhe disseram: Que é isso que fizeste? pela criança viva jejuaste
e choraste; porém depois que a criança morreu te levantaste e comeste.
22 Respondeu ele: Quando a criança ainda vivia, jejuei e
chorei, pois dizia: Quem sabe se o Senhor não se compadecerá de mim, de modo que
viva a criança?
23 Todavia, agora que é morta, por que
ainda jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei para ela, porém ela não
voltará para mim.
24 Então consolou Davi a Bate-Seba, sua
mulher, e entrou, e se deitou com ela. E teve ela um filho, e Davi lhe deu o
nome de Salomão. E o Senhor o amou;
25 e mandou, por
intermédio do profeta Natã, dar-lhe o nome de Jedidias, por amor do Senhor.
26 Ora, pelejou Joabe contra Rabá, dos amonitas, e tomou
a cidade real.
27 Então mandou Joabe mensageiros a Davi,
e disse: Pelejei contra Rabá, e já tomei a cidade das águas.
28 Ajunta, pois, agora o resto do povo, acampa contra a
cidade e toma-a, para que eu não a tome e seja o meu nome aclamado sobre ela.
29 Então Davi ajuntou todo o povo, e marchou para Rabá;
pelejou contra ela, e a tomou.
30 Também tirou a coroa da
cabeça do seu rei; e o peso dela era de um talento de ouro e havia nela uma
pedra preciosa; e foi posta sobre a cabeça de Davi, que levou da cidade mui
grande despojo.
31 E, trazendo os seus habitantes, os pôs
a trabalhar com serras, trilhos de ferro, machados de ferro, e em fornos de
tijolos; e assim fez a todas as cidades dos amonitas. Depois voltou Davi e todo
o povo para Jerusalém.


Gira, gira o mundo, algumas coisas sempre voltam. O pecado, uma ex-namorada (o), os vícios, antigos amigos, antigos sentimentos, dores, raivas, e etc, etc, etc. Aprendo no texto uma coisa muito simples, quando DEUS não abençoa algo, não interessa, ELE irá recolher isto das nossas vidas.

ELE nos avisa, ELE é nosso Pai, nos prepara psicologicamente para isso. Então começamos a orar. Pensamos que por nossos clamores ELE mudará de idéia e nos permitirá mantermos algumas coisas. Gritamos, clamamos, suplicamos, lutamos. Você luta por um namorado (a), você luta para transformar a vidas daqueles seus amigos ou apenas se manter cristão e não ser influenciado por eles, você acha que pode ser participante de algumas coisas não-cristãs e não sofrer dano algum. Mas, quando DEUS sabe que isso não será bom, ELE por sua vez não abençoa. E toma de nós. O problema disso é que muitas vezes queremos falar com coisas mortas, já requeridas pelo nosso SENHOR.

Clame com todas as suas forças enquanto houver esperança, ore e jejue com toda a esperança e fé. Mas, no dia que DEUS te tomar algo. Não chore os mortos. Reconheça que ELE quis tomar-te isso porque não era abençoado. Levante-se. Mude seu semblante e roupas. Adore a ELE, porque ELE sabe o que faz. Console aqueles que ainda não entenderam. Vá gerar Jedidias, aquele que será abençoado pelo SENHOR, se for novas amizades, vá gerá-las, ser for um novo relacionamento, vá gerá-lo, não importa gere aquilo quer for abençoado pelo SENHOR. Depois, volte à luta, porque DEUS reservou cidades, ou seja, lugares, postos e coisas para você ainda conquistar.

E lembre-se, em nenhum momento o nome daquela criança é mencionado. Quando DEUS retirar-te algo não existirá um “Aqui jaz________”. A criança quando enterrada, não tinha árvore genealógica, não tinha parentesco, pois não havia nenhum nome ou significado sobre si. Um indigente. Faça também assim com tudo aquilo que DEUS decidir tirar da sua vida. Mesmo que o mundo dê muitas voltas. Não fale com defuntos. Não reviva-os. Lembre-se sempre – “Enterrei um menino sem nome, e sem nome para sempre ficará" – Pois, o reino foi dado àquele que foi gerado da benção. Jedidias, ou seja, Salomão.
p.s: Esse vídeo fala muito comigo e também ministra por si só. Sem comentários, apenas deixa a letra falar com você.

domingo, 21 de setembro de 2008

2

Bom, dias e dias distantes mas agora voltamos com tudo novo.
Novas idéias, nova direção. Foi mal a demora! Agora casa em ordem de novo, vamo
que vamo!! XD


----------------------------

Quero compartilhar com vocês o que andei aprendendo esses
dias. Bom está aí.





Hoje vivemos um transbordar tremendo da Glória Inexplicável de DEUS, temos vivido obras tão tremendas, coisas enormes têm acontecido no meio do M.F (cultos de tamanha unção, retiros com demonstrações de poder inexplicáveis). Porém, precisamos hoje entender aonde e como usar todo o derramar da Presença Inexplicável de DEUS. Então hoje vamos navegar na Palavra Imutável do SENHOR para descobrirmos os passos que devemos dar após um encontro real com o SENHOR.

Começaremos então por um texto que se encontra em Efésios 1.13,14 que diz:


“Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou,
vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia
da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da
sua glória.” (ênfase acrescentada)


Para que possamos compreender vamos examiná-lo parte a parte.

1º Parte – Ouviram e Creram.

A um poder enorme nessas duas palavrinhas da primeira parte desse versículo, tem um segredo violento nelas que muitos não conseguem captar. A grandeza da Glória de DEUS se manifesta no mundo real vindo do mundo invisível, somente através da crença daquilo que eu ouvi, ou seja, da fé em mim implantada pela Palavra.
Mas, antes de desvendar o mistério da palavra precisamos desvendar os mistérios da fé. O que é Fé? Muitos diriam milhares de frases lindas e potenciais, repetiriam a definição de Paulo sobre fé, todavia pergunto – Vocês compreendem as definições de fé que tão entusiasticamente repetem?
A fé é. Simplesmente e somente isso. A fé é a certeza. A fé é a convicção. A fé é o que move montanhas. Entre todas elas, a FÉ É. Se existem um “mas” na afirmação, um “todavia”, “talvez”, não é fé, pode até ser uma expectativa qualquer, todavia, nunca será uma afirmação de fé. A afirmação de fé é crer que algo será realizado porque já existe no mundo espiritual e falta somente isso, que nosso DEUS que chama a existência coisas que ainda não existem no mundo físico, assim o faça.

- na Palavra da Verdade.

Existe um detalhe tremendo agora que precisamos compreender para caminhar dia-a-dia na Presença do nosso DEUS, a nossa fé não é depositada em qualquer lugar. Ela tem um destino, como por exemplo, uma chave que somente abre uma porta. Uma combinação que se aplicada erroneamente não abriria porta alguma. O segredo da fé realizar o impossível é ela ser aplicada com a PALAVRA.

Examinemos:

Mateus 8.5-13 – O Centurião

5 Tendo Jesus entrado em Cafarnaum,
chegou-se a ele um centurião que lhe
rogava, dizendo:
6 Senhor, o meu criado
jaz em casa paralítico, e
horrivelmente atormentado.
7 Respondeu-lhe Jesus:
Eu irei, e o
curarei.
8 O centurião, porém, replicou-lhe: Senhor, não sou
digno de que
entres debaixo do meu telhado; mas somente dize uma palavra, e o
meu criado
há de sarar.
9 Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, e
tenho
soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem,
e
ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.
10 Jesus, ouvindo isso,
admirou-se, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que a ninguém
encontrei em Israel com tamanha fé.
11 Também vos digo que muitos virão
do
oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó,
no
reino dos céus;
12 mas os filhos do reino serão lançados nas trevas
exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.
13 Então disse Jesus ao
centurião: Vai-te, e te seja feito assim como creste. E naquela mesma hora o
seu
criado sarou.


Mateus 8.23-27 – A Tempestade no Barco

23 E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram.
24 E eis que se
levantou no mar tão grande tempestade que o barco era coberto pelas ondas; ele,
porém, estava dormindo.
25 Os discípulos, pois, aproximando-se, o
despertaram
, dizendo: Salva-nos, Senhor, que estamos perecendo.
26 Ele lhes
respondeu: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se repreendeu
os ventos e o mar, e seguiu-se grande bonança.
27 E aqueles homens se
maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe
obedecem?

Vemos dois exemplos clássicos das pregações sobre fé. Todavia porque um foi elogiado por sua fé e outros envergonhados por não ter fé. Qual foi a diferença crucial entre eles? Simplesmente, UM ACREDITAVA NA PALAVRA, outros DEPENDIAM EXCLUSIVAMENTE DA PRESENÇA.
Acontece que o homem que realmente tem sua presença indispensável queria ensinar que um dia, não estaria ali e que a fé necessária para ser vivida estaria ali sempre pelo poder DA SUA PALAVRA. Agora porque a sua Palavra é exatamente a conexão de fé necessária ao cristão? Por que ELE é a PALAVRA.

João 1.1-3

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era
Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
3 Todas as coisas foram feitas
por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

Durante muito tempo clamamos pela Presença d’Ele, pelo avivamento e muitas outras coisas, temos experiências maravilhosas com sua Glória. AMÉM. Mas, no dia que se inicia após os grandes e tremendos cultos, tudo vai ficando, se tornando distante. Quando isso acontece nos parece que o SENHOR está longe, se esqueceu. Depois de uma experiência começamos a agir de uma forma onde parece que todo o dia precisarei sentir um arrepio, tremer, ser assaltado em minhas emoções. E isso não é verdade. Com essas coisas em mente vamos continuar examinando nosso versículo em Efésios.

2º Parte – Selados, Promessa, Garantia.

Sem fé é impossível agradar a DEUS. Se ELE o quisesse poderia sim todo dia, todo culto, todo momento demonstrar sua Glória, todavia, algumas vezes ELE se distancia, para provar-nos nossa fé, para ver se realmente cremos n’ELE.
Ele nos deixou sua PALAVRA e nos deu o maior presente do mundo, o ESPÍRITO SANTO, que nos guiará por essa Palavra, anexando nossa verdade. ELE é a manifestação do PODER da PALAVRA no mundo e nosso Guia dela.

João 16.7-14

7 Todavia, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o
Ajudador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei.
8 E quando ele vier,
convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:
9 do pecado, porque não
crêem em mim;
10 da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis
mais,
11 e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.
12
Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora.
13
Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a
verdade
; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos
anunciará as coisas vindouras.
14 Ele me glorificará, porque receberá do que
é meu, e vo-lo anunciará.


Atos 1.8
8 Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e
ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e
até os confins da terra.


3º Parte – Redenção.

Por fim, todo aquele que deseja viver a verdadeira Fé e obter d’Ele a direção precisa se entregar verdadeiramente também a ELE. A nossa redenção em Cristo depende de crermos sempre exclusivamente n’Ele.

João 1.12

12 Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome,
deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;


A salvação da nossa vida, das doenças, dos conflitos e dos problemas está em seguir a Cristo, que é a Palavra, por onde obtivemos a salvação e por isso, fomos selados no ESPÍRITO SANTO. Ou seja, os que creram. Creram em que? Na palavra, no Livro Sagrado, enfim, SIGA O LIVRO.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

A Cura do Mundo (Ou quase)

Curiosidade observada:

Já observaram que sempre que discutimos os problemas do mundo, da sociedade, da individualidade exarcebada, das "panelinhas", da fome, da violência e blá blá blá... Sempre. SEMPRE. Ouvimos assim:




"Com certeza se as pessoas se amassem mais, não
haveria..."

"Essa individualidade, essas facções sociais existem
porque as pessoas não se amam, não se expressam, não se socializam
adequadamente, se..."

"A fome e a violência existe porque aqueles
que têm o poder aquisitivo, político ou de influência se abstêm de fazerem sua
parte, se eles..."



Ai eu penso, se vemos os problemas e temos as soluções me diga porque não resolvemos tudo? Arrumamos essa bagunça? Se o AMOR é a solução do mundo, me diga porque não o curamos com o amor?

Aí fico pensando será que defendendo tanto o AMOR o conhecemos?

Pense assim:

Tire o beijo apaixonado de hollywood, as expressões de casamentos dos livros, os abraços do namorado, o afeto da mãe, o cafuné do melhor amigo. O que sobra???

N-A-D-A. Por que nosso conhecimento do amor é tão superfícial, tão idiota, que não consiguimos pensar em amor sem o coração bater por um rosto (que eu queira muitooooo beijar), ou do significado de um afeto de alguém amado (pai, irmão, amigo). Devemos amar só aqueles que vemos? Devemos amar só quem nos ama?

O que diremos daqueles miseráveis que vivem se escondendo nas áreas de guerra civil na África? Dos que tem fome na Índia? Dos que morrem por causa da religião idiota que tem? Dos caras do morro com medo dos paramilitares? Dos indigentes sem terra pra trabalhar? Ou morar? Do colega que teve que abandonar os estudos porque estava sem dinheiro? Vender coisas da casa para pagar contas?

É fácil falar de amor, com uma aliança no dedo e um beijo no rosto. É fácil falar de amor com uma famíllia perfeita (tipo Qually). Com o bucho cheio sentado na rede da varanda de casa. É fácil dizer que temos que fazer a revolução depois de ler Che Guevara (ou uma biografia qualquer).

Essa é parte do texto que deveria começar a escrever o que é o amor, mas também não o conheço, então essa parte eu acabo aqui, sem pretenções.


Me dizem: Deus é amor!

Sim, sei que é. Não conheço o amor e muitas vezes pergunto se conheço DEUS.

Não o Deus caixa rápido, que tem todas as bençãos pra me dar ao passar do meu envelope (cartão).

Não o Deus justiceiro, que só se preoucupa com minha vida no UNIVERSO TODO e está aqui só pra me vingar.

Mas falo do DEUS verdadeiro, o DEUS que é o AMOR. Na minha opinião é um abismo infinito. Uma profundida gigantesca. Não sei definir para você o fim dessa busca, só posso dizer como chegar na beira do abismo, pensar n'Ele e saltar! E se quiser ir, faça sua mochila que estamos atrasados.

________________

Uma letra do Paulinho Moska que encontrei hoje e ao pensar nisso tudo resolvi colocar aqui para você ler.


"Não falo do AMOR romântico, aquelas paixões meladas de tristeza e
sofrimento. Relações de dependência e submissão, paixões tristes. Algumas
pessoas confundem isso com AMOR. Chamam de AMOR esse querer escravo, e pensam
que o AMOR é alguma coisa que pode ser definida, explicada, entendida, julgada.



Pensam que o AMOR já estava pronto, formatado, inteiro, antes de ser
experimentado. Mas é exatamente o oposto, para mim, que o amor manifesta. A
virtude do AMOR é sua capacidade potencial de ser construído, inventado e
modificado. O AMOR está em movimento eterno, em velocidade infinita. O AMOR é um
móbile. Como fotografá-lo? Como percebê-lo? Como se deixar sê-lo? E como impedir
que a imagem sedentária e cansada do AMOR não nos domine? Minha
resposta? O AMOR é o desconhecido. Mesmo depois de uma vida inteira
de amores, o AMOR será sempre o desconhecido, a força luminosa que ao mesmo
tempo cega e nos dá uma nova visão. A imagem que eu tenho do AMOR é a de um ser
em mutação. O AMOR quer ser interferido, quer ser violado, quer ser transformado
a cada instante. A vida do AMOR depende dessa interferência.



A morte do AMOR é quando, diante do seu labirinto, decidimos caminhar
pela estrada reta. Ele nos oferece seus oceanos de mares revoltos e profundos, e
nós preferimos o leito de um rio, com início, meio e fim. Não, não podemos
subestimar o AMOR não podemos castrá-lo. O AMOR não é orgânico. Não é
meu coração que sente o AMOR. É a minha alma que o saboreia. Não é no meu sangue
que ele ferve. O AMOR faz sua fogueira dionisíaca no meu espírito. Sua força se
mistura com a minha e nossas pequenas fagulhas ecoam pelo céu como se fossem
novas estrelas recém-nascidas. O AMOR brilha. Como uma aurora colorida e
misteriosa, como um crepúsculo inundado de beleza e despedida, o AMOR grita seu
silêncio e nos dá sua música. Nós dançamos sua felicidade em delírio porque
somos o alimento preferido do AMOR, se estivermos também a
devorá-lo.



O AMOR, eu não conheço. E é exatamente por isso que o desejo e
me jogo do seu abismo, me aventurando ao seu encontro. A vida só existe quando o
AMOR a navega. Morrer de AMOR é a substância de que a Vida é feita. Ou melhor,
só se Vive no AMOR. E a língua do AMOR é a língua que eu falo e
escuto."
MOSKA

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Tah lascado!



De que você é feito?


Karacas, eu estou de cara com a quantidade de blábláblá que tenho ouvido ultimamente. E inspirado em um texto, maravilhoso e intrigante, do Washington Olivietto que fala sobre os quase publicitários. Eu resolvi fazer uma lista também de "quases", só que esta voltada para nosso mundinho do dia-a-dia. Então...


É comum hoje vermos muitos ou inúmeros "Quases" andando por aí, eles se parecem com a maioria. São cheios de coisas ordinárias. Mas a maior característica é a língua. Os seus verbos preferidos são: falar, achar, pensar, sonhar. São bons verbos eu sei, mas para eles são os ÚNICOS verbos.


São quase comprometidos, "claro não tem como dar o sangue em tudo!"

São quase amáveis, caridosos, apenas não conhecem o significado dessas coisas. Quase se concentram, mas "o mundo anda tão estressante". Sonham com as melhores estratégias de se conquistar o universo, mas nunca começaram a tal "estratégia". Psicologia, ambiente humano, sociologia, linguagem não-verbal. Wow!!!!! Só não conseguem se relacionar direito ou melhor, "quase se relancionam com todos"!


Quase são amigos, só se esquecem dos aniversários (quando não avisados pelo orkut), ficam aguniados quando precisam só escutar você ou ser seu suporte em um funeral.

Quase estudam a bíblia, só se confundem se lucas e marcos também era um dos doze, "não eram?"


Quase cumpriram a promessa de ouvir mais, de começar a caminhar na segunda-feira, de economizar dinheiro na hora do lanche do fim de semana. QUASE amaram. Quase casaram. Quase fizeram a faculdade que gostavam tanto, se não fosse pela estabilidade de um concurso público mesmo sendo para fazer o resto da vida O QUE DETESTAM!


Putz, os quase tem a mania de só ler:


Auto-ajuda e nunca outros escritores, outro estilo de literatura, bibliografias e etc, etc.

Estudar a história bíblica por livros de outros que já estudaram. Nunca entraram numa biblioteca ou leram os historiadores judeus.

Sempre que pesquisam um tema procuram as respostas de outros, nunca tem o tesão de fazerem uma descoberta.


E por último (não que a lista acabe por aqui!), tem a mania de:


De chorarem por qualquer coisa,

De desistirem por qualquer coisa,


E ai fico me perguntando: De que material somos feitos?


São as zonas de encurralamento, os desastres, as tragédias, os dias tristes, os maus dias, as derrotas que provam de que somos feitos. Se você simplesmente nesses dias não consegue reagir, então me pergunto de que você é feito?


Seja fiel ao que você falou! Não volte atrás tão facilmente (volte sim, quando for convencido verdadeiramente que você está errado! Aí sim, tenha humildade e concerte a merda que você fez).
Quando encarado, mostre firmeza. Olhe nos olhos das pessoas. Sonhe! Mas faça o sonho acontecer! Projete, mas cumpra o que você escrever.


Custe o que custar, vença. Porque aprender a reagir positivamente depois de uma derrota também é vencer!


E afinal, se tudo parecer que for dar errado. Parecer que você não vai consiguir. Se você colocar todas as suas forças e não der em nada. Lembre pelo menos da frase "Se for pra morrer, morra em grande estilo!"


Vença sua mente primeiro, depois que você deixar de ser besta na sua mente você vai fazer tudo que for preciso no mundo exterior.


Cara, se você quer que eu prove tudo isso depois na Bíblia, ok! Me perdoe a indignação, mas cara na boa. NÃO DEIXE O MAR TE ENGOLIR!


quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Daisy

Era um travesti alto, magro e desengonçado, e tinha uns implantes. Não sei como começou na homossexualidade, mas disse que tinha sede de Deus desde antes. Quando criança, num passeio a uma Igreja Católica com sua mãe, viu um caixão de vidro com uma estátua de Jesus dentro. “Igreja do Jesus morto”; a mãe era devota. Quando chegaram perto, ele, pirralho, sentiu que Jesus lhe olhava.

– Mãe, Jesus está vivo!
– Pare de dizer besteira, menino...

Ela não viu, mas ele sabia que Jesus não estava morto. Adulto, Daisy foi se desiludindo consigo mesmo numa sede que não terminava por outro tipo de vida, apesar de ter tudo o que um travesti poderia desejar, como um parceiro e um filho adotivo.

Ligava o rádio na sintonia dos pentecostais. Ouvia músicas e pregações o dia inteiro. Não se cansava nem da repetição nem dos chavões. Ouvia até a hora de sair para ganhar a vida na rua. Tornou-se um hábito ouvir o evangelho. O parceiro e os vizinhos se irritavam. Daisy ficava mais amuado, mais convicto. Começou a ler a Bíblia.Uma noite não agüentou mais. Percebeu que não tinha coração para levar a vida assim. Decidiu que aquela seria a sua última noite na rua.

Ouviu rádio e pegou a Bíblia. Abriu no primeiro capítulo de Apocalipse, que fala sobre a revelação de Jesus, em suas vestes de luz e língua como espada de fogo. Lindo! Assim seria sua fantasia, a última da vida de rua.

– Vou de “drag-jisas”.

Enfeitou-se todo de branco e dourado, reverente. Não era uma drag qualquer, era o próprio Jesus de uma maneira simbólica dizendo-lhe que chegara sua hora de mudar. Não conseguiu fazer a vida naquela noite; pregava sem parar, como os pregadores do rádio que ouvia há tanto tempo. Pregava para as prostitutas, para os clientes, para os passantes. O ponto se esvaziou, os habituais corriam para não ouvi-lo. Finalmente, no romper da manhã, tendo arruinado a noite de todos os freqüentadores do ponto, sentou-se feliz, cantando uma daquelas músicas do tipo “sai demônios e vem Jesus”.

Logo depois Daisy adoeceu e descobriu-se portador do vírus HIV. Estranhamente não teve medo. Sua irmã conhecia algumas pessoas em Belo Horizonte e resolveu dar uma passada por lá para ver se encontrava ajuda para ele. A vida tem seus caminhos; ao receber a medicação, Daisy encontrou também algumas pessoas do grupo VHIVER, que ajuda portadores do vírus da aids a viver com qualidade. De lá esbarrou nos crentes da Caverna de Adulão e conheceu o Jesus que amava. Converteu-se, “destravecou-se”, “homenzou-se” do melhor jeito que pôde. O parceiro ficara no Rio de Janeiro com o filhinho adotivo. Teve de dizer-lhe que era homem agora e que cuidaria do filho, mas já não seria “casado”. Sentiu-se puro como um bebê. Dizia que já tinha feito sexo demais a vida toda e agora não precisava mais; iria viver para Deus de todo o seu coração...Mas não podia ficar em Belo Horizonte, tinha de voltar ao Rio. O Geraldo, da Caverna, se preocupou: “E agora, o que vai ser de Daisy? Quem vai entendê-lo para integrá-lo?”A essa altura Daisy já se chamava como homem, mas os trejeitos de uma vida no submundo não saem fácil. As marcas (as mãos na cintura, o andar reboloso e a voz fina que ainda desafina) ficam. Daisy voltou para o subúrbio do Rio. Despachou o parceiro, pegou suas coisas e mudou-se. Mas aí veio a parte dura: conseguir um emprego, se sustentar de maneira digna e encontrar uma igreja onde fosse aceito. Nos primeiros meses quase não tinha dinheiro; a única congregação do bairro era o lugar mais perto. As emoções de Daisy ainda eram as emoções de uma caricatura de mulher. Ia à igreja esperando amor como o que encontrara em Belo Horizonte. No começo encontrava o porteiro:

– “Tem culto hoje não, desculpe.”
– “Ah...” – o ar decepcionado de Daisy não mudava em nada a cara do porteiro.

Infelizmente a igreja não conseguiu entender o rapaz. Daisy tentou mais uma e mais outra. Mas o que aconteceria se no bairro vissem aquele homem ainda com peitos freqüentando os cultos? Terminou por entender que não era bem-vindo – mais uma ferida para carregar para quem já sofreu tantas. Sem ajuda na fé e sem apoio econômico e social para recomeçar, a fé de Daisy se apagou. Geraldo o viu um dia desses nas páginas de uma revista, militando pela causa homossexual, e respirou aliviado, pensando: “Pelo menos ele ainda está vivo...”

Daisy, se você está lendo isto, tente outra vez. Vamos aprender a caminhar com você pelo caminho da restauração. Vamos aprender a fazer da sua vergonha a nossa vergonha e, pelo nosso amor, fortalecer a sua fé naquele que nos transforma.



Texto de Bráulia Ribeiro é missionária em Porto Velho, RO, e presidente da JOCUM – Jovens com Uma Missão.


__________


Essa história real marcou-me desde quando a li pela primeira vez, talvez alguns já conheçam mas com certeza serve a todos os outros também. E depois de um texto desses deixo a reflexão, a compaixão, a revolta e a reflexão para vocês. Sem comentários, só a Paz.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

I'm a Sinner

I’M A SINNER (Eu Sou Um Pecador)
_____________________________________


Sinto-me às vezes rodeado de um heroísmo religioso muito grande. Sempre somos grandes homens, grandes mulheres, vencendo o pecado, destronando o mundo, prosperando sem limites, sobressaindo sobres as doenças, controlando as tentações. I’M A SUPER MAN. Somos rotulados de crentes, santos, religiosos, pastores, diáconos, obreiros da igreja dos últimos dias, evangelistas, remanescentes, quase falta nos chamarem de vice-deuses. Sei que temos muitos títulos, alguns conquistados com muita luta e não desmereço um só que seja, mas se formos pensar nenhum deles nos aproxima de DEUS.

Essa semana pensando nisto percebi que nos orgulhamos tanto de todas as patentes que carregamos, e que muitas vezes nos sufocam, que na verdade o maior título que teremos em nossa vida e talvez o único que nos achegue diante de DEUS seja, Pecador. E como nós fugimos disso, como nos envergonhamos disso, como o enojamos, e isso que deveria ser algo benéfico, torna-se algo incrivelmente ruim.

O pecado em todas as suas vertentes é algo nojento e repudiante, todavia o fato de nós sermos pecadores, inúteis [Sl 8.4], sem justiça própria [Is 64.6], condenados [Rm 3:23], afastados do céu [Is 59.2]; que fez o PRÓPRIO DEUS, nos amar e vir até aqui só para nos resgatar.

Romanos 5:8 - Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. (ênfase acrescentada)


Devemos admitir que somos pecadores. Admitir o que fazemos. Cristo não morreu pelos santos, pelos pecadores sim.
Mateus 9.12: Mas Jesus, ouvindo, disse: Os sãos não precisam de médico, e sim
os doentes


É impossível vencer o pecado sendo um pecador. Mas também é impossível viver a redenção de Cristo sem admitir que sou um. Só em Cristo, pecadores vencem o pecado. Jacó teve que se admitir assim [Gn 32.27], Isaías também [Is 6.5], Jeremias no seu medo [Jr 1.5], todos eles [Rm 3:23]. E o Mestre nos deixou claro isso:

Lucas 18.10-14

10 Dois homens subiram ao templo
para orar; um fariseu, e o outro publicano.

11 O fariseu,
de pé, assim orava consigo mesmo: Ó Deus, graças te dou que não sou como os
demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano.

12 Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo
quanto ganho.

13 Mas o publicano, estando em pé de longe,
nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus,
sê propício a mim, o pecador!

14 Digo-vos que este desceu
justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar
será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado. (ênfase acrescentada)



Admita hoje diante de DEUS quem você é para que veja o quanto a vida ficará INCRIVELMENTE mais leve.
B.L

FiO dA rAbIoLa


Welcome,

Um pouquinho de nós:

O começo:

Depois que fui ao TG Global e conheci alguns ministérios que trabalham na área de sexualidade decidimos que seria algo de relevante para se trabalhar dentro de nossa igreja, por isso começamos um movimento que trabalhava na área da sexualidade, ajudando todos aqueles que querem se libertar, cristãos e não-cristãos, de vícios sexuais.

O meio:

Com o tempo o Fio foi tomando outras formas. Se tornou um ministério integrado com um pensamento livre de pensar sobre religião. Se tornou algo mais próprio e mais pessoal, se tornou uma missão de viralizar a Palavra através da fala e da experiência de cada um e não somente de um dia de culto ou reunião. O ministério da igreja se alinhou à visão da igreja local e o Fio se tornou o ministério da vida de algumas pessoas. Todavia ele se desfragmentou, deixou de ser um grupo para se tornar uma ideia.

A ideia:

Acreditamos que somos um vírus. Cada vez que se propaga ele se evolui, se transforma e volta a afetar novamente. Diante de toda visão deturpada da religião, do sadismo, da heresia, da alienação, tentamos manter os olhos a frente, a mente sã e o coração em Deus. Da expressão "só o fio da rabiola" que significa literalmente algo que se fragmentou, se perdeu e só sobra o caos. Acreditamos que seja isso que basta para se escrever uma nova vida. Algo vazio pode ser enchido, algo desmontado pode ser montado. Isso é o Fio. Acreditar que tudo e todos que foram violentados pela religião e pelas ideias manipuladoras (sejam políticas, religiosas ou de outros meios) podem ser reencontrados, reerguidos e revolucionados.

O Sofá:

Esse é o sofá. O blog. Onde o Fio da Rabiola coexiste e se expressa. Ás vezes por mais vezes outras em tempos mais espaçados. Todavia aqui estamos, evoluindo no ar até o ponto de estarmos no ponto certo para os sonhos de Deus em nossas vidas.


Não pretendemos ter todas as respostas, mas pretendemos fazer boas perguntas.

Nos obrigamos a sermos Fieis a Palavra, a Cristo e ao Espírito Santo.


Nosso contato: fiodarabiola@gmail.com



A Graça e Paz.

Bruno L.






Gostou dá um like, comente abaixo ou no email: fiodarabiola@gmail.com